> Shobogenzo Zuimonki (27) – Livro 2 Parte 5

Mente bodai é estudar o portal do darma (ensinamento) dos ‘três mil mundos em um único instante de pensamento’ e retê-los em sua mente.

LIVRO 2

2-5

Em uma palestra vespertina, Dogen disse:

         A biografia do falecido Sojo Eisai, de Kenninji, foi escrita pelo vice-ministro Akikane[1], um monge leigo. A princípio ele recusou fazê-la, dizendo que “ela deveria ser escrita por um estudioso Confucionista, porque tais estudiosos esquecem seus próprios corpos e se dedicam a estudar desde a mais tenra infância. Portanto, não há erros em seus escritos. Para pessoas comuns, trabalhar para o governo e se entrosar socialmente são seus propósitos principais; elas deixam o estudo de lado. Embora tenham existido algumas pessoas eminentes, ocorreram erros em seus escritos.”

         Na medida em que penso sobre isso, percebo que pessoas de antigamente esqueceram de seus corpos para estudar até mesmo textos não-Budistas.

Dogen também disse:

         O falecido Sojo Koin[2] disse, “Mente bodai é estudar o portal do darma (ensinamento) dos ‘três mil mundos em um único instante de pensamento’ e retê-los em sua mente. Isso é chamado mente bodai. Vaguear sem rumo e desorientado com um chapéu de bambu[3] pendurado no pescoço é considerada uma ação influenciada por um demônio.”


[1]Minamoto Akikane (?-1215). “Monge leigo”, tradução de nyudo (aquele que adentrou o Caminho), significa uma pessoa que recebeu ordenação e se tornou monge, mas ainda assim vive em casa com sua família. “Vice-ministro” é tradução de chunagon.

[2] Koin (?-1216) tornou-se o abade de Onjoji (ou Miidera), em Otsu. Mais tarde ele se tornou aluno de Honen e praticou Nenbutsu (Budismo Terra Pura). Quando Dogen era adolescente, ele visitou Koin para perguntar sobre as dúvidas que ele tinha enquanto estudava Budismo no Monte Hiei. De acordo com a biografia de Dogen, Koin sugeriu que Dogen visitasse Eisai para resolver suas questões e praticar o Zen.

[3] Quando viajavam, os monges usavam chapéus de bambu. O que Koin quis dizer é que correr para lá e para cá sem estudar e praticar os ensinamentos fundamentais era um erro.