> Shobogenzo Zuimonki (54) – Livro 3 Parte 6

Portanto, estudantes hoje em dia, também deveriam pensar em fazer o bem para os outros sem distinguir entre pessoas de classes baixas ou altas, os íntimos ou aqueles com os quais não se tem relação, mesmo que seus atos não sejam vistos e conhecidos pelos outros. Seja uma questão grande ou pequena, você não deveria ser um incomodo aos outros, e nem magoar seus sentimentos.

LIVRO 3

3-6

Uma noite Dogen instruiu:

            Depois de ascender ao trono, Taiso da dinastia To viveu em um velho palácio. Uma vez que estava em mau estado, a umidade entrou e o imperador adoeceu com os ventos frios e o sereno. Quando seus ministros propuseram construir um novo palácio, o imperador respondeu:

“Estamos na estação agrícola com muito o que fazer. As pessoas certamente ficariam incomodadas. Devemos esperar até o outono para construí-lo. Ser afligido pela umidade é decorrente de não ser aceito pela Terra. Ser afetado pelo vento e chuva é decorrente de não viver de acordo com o Céu. Se eu vou contra o Céu e a Terra, não posso manter minha saúde. Estarei de acordo com o Céu e a Terra quando eu não causar mais sofrimento ao povo. Se eu agir em harmonia com o Céu e a Terra meu corpo não será maltratado.”

Dizendo isso, ele não construiu um novo palácio e, afinal de contas, acabou ficando no velho. Aqui, mesmo um leigo pensou mais nas pessoas do que em sua própria saúde. Muitos mais deveriam, como crianças do Buda, ter êxito no caminho do Tatagata e ter compaixão com todos os seres vivos, como se cada um deles fosse seu único filho[1]. Não censure, nem cause problemas às pessoas, mesmo que elas sejam seus auxiliares ou empregados. Além disso, tenha respeito por seus estudantes e praticantes, seus idosos ou outras pessoas mais velhas, tal como se eles fossem o Tatagata; isso está claramente escrito nos preceitos. Portanto, estudantes hoje em dia, também deveriam pensar em fazer o bem para os outros sem distinguir entre pessoas de classes baixas ou altas, os íntimos ou aqueles com os quais não se tem relação, mesmo que seus atos não sejam vistos e conhecidos pelos outros. Seja uma questão grande ou pequena, você não deveria ser um incomodo aos outros, e nem magoar seus sentimentos.

Durante o tempo em que o Tatagata esteve vivo, muitos não Budistas caluniaram e odiaram o Tatagata. Um dos discípulos do Buda perguntou:

“Tatagata, você sempre considerou a gentileza fundamental e teve compaixão em seu coração. Todos os seres vivos deveriam igualmente respeitar você. Porque há alguns que não o seguem?”.

O Buda respondeu: “Quando eu liderei uma assembleia no passado, eu geralmente chamava a atenção de meus discípulos com repreensões e encontrava defeitos neles. Por causa disso, coisas como essa acontecem no presente.”

Esta passagem pode ser encontrada nas escrituras sobre os preceitos. Portanto, mesmo que você, como abade, lidere um grupo de praticantes, quando você repreende seus discípulos e queixa-se deles, não deve usar palavras abusivas ou críticas. Aqueles que têm propósitos, lhe seguirão, quer você os repreenda, quer os encoraje com palavras gentis. Estudantes, vocês nunca devem censurar membros da família, companheiros de prática ou outros com palavras ásperas. Sejam cuidadosos a respeito disso.


[1] No Sutra de Lotus encontramos o seguinte verso:

Agora este mundo triplo,

Tudo é meu domínio;

Os seres vivos nele

São todos meus filhos.